quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Fritz Lang

Nascido Friedrich Anton Christian Lang no dia 5 de dezembro de 1890, Fritz Lang foi um dos diretores mais renomados de todos os tempos. Apelidado pelo British Film Institute de "Master of Darkness", apesar de ter nascido na Áustria, grande parte dos seus trabalhos foram produzidos na Alemanha, na época do expressionismo, e também em Hollywood. Filho de engenheiro civil, decidiu seguir os passos do pai e matriculou-se na Technical University of Vienna, onde permaneceu até 1910. Posteriormente viajou por toda a Europa, África e Ásia e instalou-se em Paris para estudar. Com a Primeira Guerra Mundial, viu-se obrigado a largar tudo para alistar-se ao exército. Durante uma das muitas batalhas que enfrentou perdeu um olho. No hospital, começou a escrever seus primeiros textos para Joe May e em 1918 ele foi dispensado do exército. No mesmo ano apresentou-se no teatro de Viena e foi convidado a fazer parte da produtora de Erich Pommer como redator em Berlim.

(Foto ao lado: Lang e Thea, sua segunda mulher) No início de 1919, Lang dava início a uma carreira brilhante no mundo cinematográfico, em especial, para história do expressionismo alemão. Após muitas viagens, pesquisas e papeis rabiscados, surgia "Halbblut" e "Die Spinnen", embora já tivesse escrito alguns filmes em 1917 e 1918. Antes de casar-se com a escritora Thea von Harbou (vale lembrar que seu primeiro casamento foi com Lisa Rosenthal) produziu Harakiri e Der Müde Tod (A Morte Cansada), considerada uma das obras mais emocionantes de Lang. A partir de 1921, com o auxílio de sua mulher, escreveu o clássico do estilo noir "Dr. Mabuse, der Spieler", que tinha pouco mais de quatro horas em sua versão original.

Dos outros filmes, destaco: "Die Nibelungen", também de quatro horas, baseado num poema épico; "Metropolis", que mostra de forma peculiar a vida dos trabalhadores com as máquinas; e "M", um suspense que envolve o assassinato de crianças, considerado por muitos críticos e até mesmo pelo próprio Fritz Lang, uma das obras mais importantes de toda sua carreira. Seu estilo influenciou diversos diretores tais como: Jacques Rivette, William Friedkin, Alfred Hitchcock, Luis Buñuel e Orson Welles. Em meados da década de 30, Adolf Hitler sugeriu que Lang fizesse filmes ao Partido Nazista, e embora sua mulher tenha concordado, optou por fugir para Paris onde produziu filmes antinazistas e Liliom, sua única produção em francês. Após o divórcio, instalou-se nos EUA e deu início a uma nova fase em sua carreira. Em 1936, quando uniu-se a MGM, dirigiu Fury (Fúria) considerada uma versão americana do suspense "M", estrelado por Spencer Tracy.

Da fase norte americana vale ressaltar também: "You Only Live Once" do gênero noir; Rancho Notorious (O diabo feito mulher) estrelado por Marlene Dietrich; e suas última produções nos EUA: The Big Heat, While the City Sleeps e Beyond a Reasonable Doubt. No final da década de 50, convidado por Artur Braune a refazer o roteiro de The Indian Tomb, retornou a Alemanha. Seu último filme foi Os Mil Olhos do Dr. Mabuse e antes de encerrar a carreira, atuou ao lado de Brigitte Bardot em Le Mepris (1963). Casado com Lily Latté, Fritz Lang faleceu no dia 2 de agosto de 1976 aos 85 anos de idade, deixando ao mundo cinematográfico um acervo enorme, que até hoje serve de inspiração para muitos cineastas.

9 comentários:

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Um dos meus diretores favoritos. E a canção tá ótima, Rubi.

O Falcão Maltês

Júnior Ahzura disse...

O Ahzura's Blog voltou a ativa!
Novas matérias, e eventos artísticos!

Ahzura's Blog

jaguar disse...

ola estou aki mais uma vez dizer q seu blog e show e dizer tbem q vc é linda bjos e xauuuuuu

Daniele Moura disse...

Adorei o texto e as informações sobre este incrível diretor!
Um abraço
Dani

Drico disse...

Sou um grande fã do Fritz. Acabei achando o blog procurando mais coisas sobre a Lee Morse. Devo dizer que fiquei mega encantado com as pérolas que tem aqui.

Tsu disse...

Oi Rubi!

Fritz Lang foi um gênio do cinema...ao meu ver ele se superou em Metrópolis. E ele se arricou mesmo indo contra o nazismo!

Sabe uma coisa que gosto de ler em seus comentários é que vc sempre me surpreende no lugar onde vai comentar! Ás vezes pega um artigo que há muito tempo eu nem mexia! kkk Adoro isso!
Noir é um anime excelente...realmente o nome da obra não tem quase nada á ver com a trama...exceto que foca em belas mulheres que são perigosas rs...mas é uma das minhas obras preferidas, até fiz uma camiseta com a estampa das personagens. Adoro a ninja assassina Chloé. Mas eu pretendo refazer o post da série, deixar mais caprichado..pra vc ter idéia esse post de Noir foi a primeira resenha que fiz pro blog!

Ah não nos encontramos mesmo no msn que droga1 É que nossos horários não batem durante a semana rs. Mas quando tivermos a chance, vamos marcar certinho..to sempre indo por aquelas regiões ^^. Mas..nós temos cel! Vamos trocar mensagens!

bjs
http://www.empadinhafrita.blogspot.com

Rubi disse...

Drico, fico muito feliz com sua visita e comentário. Apareça quando puder e muito obrigada por acompanhar o All Classics.


Até mais!

Carla Marinho disse...

Rubi querida, esse post foi indicado no links da semana:
http://blogsdecinemaclassico.blogspot.com/2011/09/links-da-semana-de-18-2509.html

Foi indicado tb o teu texto sobre Mildred Bailey e sobre a história do cinema. Abraço.

Maxx disse...

Esse foi um mestre.

Abç.

Maxx.
http://telecinebrasil.blogspot.com/

Postar um comentário

Esse blog destina-se a trazer informações, curiosidades, músicas e muitas dicas. O universo de pesquisa é muito vasto e se você tiver interesse em algo ou alguém deste universo em especial, faça sua sugestão e na medida do possível tentarei apresentar um trabalho que lhe agrade.

 
↑Top