segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Charlie Chaplin

Nascido Charles Spencer Chaplin em 16 de dezembro de 1889, Charlie Chaplin dividiu seu tempo nas mais diversas áreas, tendo maior destaque como diretor, ator e humorista. Considerado um dos atores mais famosos do cinema mudo, com a famosa 'comédia pastelão' e seu figurino simples, porém marcante, Chaplin conquistou um público significativo para a época, e vem conquistando até os dias atuais, mesmo depois de sua morte; seja pelo jeito carismático ou pelos filmes. Influenciado pelos pioneiros da sétima arte, o trabalho de Chaplin na produção de uma obra cinematográfica ia desde o "roteiro" até o financiamento, sendo ele o responsável por cada detalhe. Filho de artistas, aprendeu a cantar com os pais Charles Spencer Chaplin Sr e Hannah Chaplin, até mudar repentinamente o modo de viver, com a separação do casal. Aos 3 anos de idade, morando com a mãe e o irmão, Chaplin via de perto o sofrimento da mãe, quando esta teve um problema na laringe e viu-se obrigada a parar de cantar.

Durante uma apresentação, Hannah foi vaiada e gravemente ferida por alguns objetos que a plateia atirava. Foi então que Chaplin, agora com 5 anos, subiu ao palco e cantou a canção Jack Jones, impressionando o público presente e também sua mãe. Seu pai, que era alcoólatra, apesar do pouco contato que tinha com os filhos, costumava chamá-los para passarem um período em sua casa, até Chaplin ser enviado ao Archbishop Temples Boys School pela sua madrasta. Aos 12 anos de idade, sofreu com a morte do pai e com a internação de sua mãe num asilo local, que veio a falecer em 1928. Os dois irmãos passaram a trabalhar juntos até 1910, quando Chaplin saiu em turnê com a companhia de Fred Karno rumo aos EUA. Dividindo o quarto, com o até então desconhecido, Arthur Stanley Jefferson (que posteriormente ficaria conhecido como Stan Laurel, do Gordo e o Magro), foi convidado por Mack Sennett a fazer parte da Keystone Film Company.

Com a estreia de Chaplin nos cinemas em 1914 no filme Making a Living, Mack Sennet não escondeu seu desapontamento em relação a sua atuação. No entanto, graças a Mabel Normand, Chaplin teve uma segunda chance. Trabalhando ao lado de Mabel, porém incomodado com as constantes discussões, Chaplin superou as expectativas e tornou-se uma das maiores estrelas da Keystone Film Company. Com a criação de seu personagem mais famoso, The Tramp (O Vagabundo), caracterizado pela bengala, chapéu coco, paletó, sapatos grandes e claro, o bigode, Chaplin apareceu nas telas em 1914 no filme Kid Auto Races at Venice e posteriormente Mabel's Strange Predicament, marcando assim a estreia de seu novo e inesquecível personagem. Dono de um estilo único, em apenas um ano, Chaplin já havia feito cerca de 40 curtas, incluindo Tillie's Punctured Romance. No ano seguinte, assinou contrato com a Essanay Studios, vindo a conhecer Edna Purviance, Leo White e Bud Jamison, os quais apareceram na maioria de seus filmes.

Em 1916, após receber 670 mil dólares da Mutual Film Corporation, produziu doze filmes, dentre os quais destaco: Easy Street, One A.M., The Pawnshop e The Adventurer. Um ano depois, com um novo contrato na First National, Chaplin construiu seu próprio Estúdio em Hollywood e produziu suas primeiras longas-metragens: Shoulder Arms, The Pilgrim, The Kid, entre outras. Em 1919 tornou-se co-fundador da United Artists, juntamente com Mary Pickford, Douglas Fairbanks e D. W. Griffith, e produziu os clássicos A Woman of Paris, The Gold Rush e The Circus. Apesar da chegada do cinema falado, Chaplin continuou investindo nos filmes mudos City Lights, que ficou conhecido pela harmonia das canções e Modern Times, que ficou conhecido pela canção Smile interpretada por Chaplin e Paulette Goddard.

Em 1940 Chaplin enfim investiu na sua primeira produção falada: The Great Dictator, que foi indicado ao Oscar nas categorias de Melhor Filme, Melhor Ator, Melhor Ator Coadjuvante, Melhor Trilha Sonora e Melhor Roteiro Original. Em 1947 com o lançamento de Monsieur Verdoux, entrou para a lista negra de Hollywod devido ao conteúdo do filme. Entre as décadas de 50 e 60 lançou Limelight, A King in New York e A Countess from Hong Kong, seu último filme (estrelado por Sophia Loren e Marlon Brando). Em seus últimos anos compôs a trilha sonora de alguns filmes, lançou a compilação The Chaplin Revue e escreveu sua autobiografia.

(Na foto ao lado: Charlie Chaplin e Mahatma Gandhi) Ao longo dos anos, Chaplin envolveu-se com muitas mulheres, dentre elas Hetty Kelly, Edna Purviance, Mildred Harris (com a qual teve um filho), Pola Negri, Marion Davies, Lita Grey (com a qual teve dois filhos), Merna Kennedy, Georgia Hale, Louise Brooks, May Reeves, Paulette Goddard, Joan Barry e Oona O'Neill sua última mulher que era quase 40 anos mais nova e que lhe deu oito filhos. No dia 25 de dezembro de 1977, aos 88 anos de idade Chaplin faleceu enquanto dormia, vítima de um AVC. No ano seguinte, um fato curioso ocorreu envolvendo Chaplin; seu corpo foi roubado por um grupo de rapazes que pediram dinheiro para devolvê-lo a família. Os homens foram presos e a família exigiu uma tampa de concreto para evitar possíveis roubos.

Em 1991 Oona O'Neill faleceu e foi enterrada ao lado do marido. Artista completo, foi homenageado das mais diversas maneiras e atualmente é lembrado carinhosamente pelos seus fãs. Versátil, crítico, perfeccionista, exigente, bem humorado e talentoso, assim era Charlie Chaplin.

16 comentários:

Jefferson Clayton Vendrame disse...

Nos prostremos aos pés de vossa majestade: Charlie Chaplin !!!

Jefferson Clayton Vendrame disse...

Ótimo Texto Rubi, falar de Chaplin não é fácil, mais uma vez meus parabéns.

Gabriel França disse...

Nossa, o que dizer sobre Charlin Chaplin? É o pai dos clássicos. Sem mas.

http://monteolimpoblog.blogspot.com/

Tsu disse...

Oi Rubi!
Dessa vez vc ousou hein?
Falar de Chaplin resumidamente não é algo fácil! O cara foi um mestre!
Sabia que certa vez ele foi participar de um concurso de interpretação de Charles Chaplin? Ele foi caracterizado mas sem ninguém saber que era o verdadeiro ali junto com vários sósias. Na entrega do prêmio de melhor sósia ele ficou..em segundo lugar! @_@
Alguém imitou ele melhor do que ele próprio rs.

Desculpa a demorinha em responder...tá uma correria danada por aqui @_@ O que não é novidade rs. Mas então..acho que ainda há bastante artigos e paoos furados para vc comentar no blog..ou vc pode ir comentando nas postagens recentes rs.
Sobre Trigun ele é realmente uma obra diferente, repleta de diversos elementos, emio loucona..eu achei o anime um pouco fraco da metade pro final ( o começo é ótimo) mas dizem que o mangá é bem melhor. E o protagonista, Vash, é hilário.
Então, evento só com personagens da Disney eu creio que não exista. Entretanto os eventoso takus, principalmente brasileiros, ultimamente estão tendo muitos cosplayers da Disney. Digo que esse AD que fui pareceu ser o evento da Disney rs
bjs

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Texto muito bom, Rubi. Redundante dizer, mas o Chaplin era gênio.

O Falcão Maltês

Sonhos Pré-Concebidos disse...

adoreei, eterno s2 meu texto favorito é dele, é um que fala que o começo da vida poderia ser você velho e ir diminuindo a idade até ficar bebê, que nem o filme
obg pela visita lá no nosso blog, pode voltar sempre que quiser ok? Bjs, Nícia. www.sonhospreconcebidos.blogspot.com

M. disse...

Charles Chaplin forever!

Mione disse...

Muito boa a postagem, e putz, ele deve uma penca de filhos hahaha

Ele se envolveu com praticamente todas as mulheres que trabalhou. Lita Grey era uma que foi substituída pela Geogia Hale por causa da gravidez no The Gold Rush (a qual depois ele também pegou né? hahahaha)

Apesar desse quesito, o cara foi um excelente artista.

Jeniffer Yara disse...

CHAPLIN! <3 Confesso que só vi um filme com ele,mas quem não conhece toda sua genialidade?! *-* Maravilhoso post, e nem precisa agradecer pelo comentários, por que são merecidos! hihi

Beijos
http://mon-autre.blogspot.com/

Blog UaiMeu! disse...

O que falar dele? Sem sombra de dúvidas um dos artistas mais completos que se teve notícias. Um artista completo que soube muito bem fazer cinema em uma época que não existia tecnologia e nem Spillberg rsrs. Um homem q revolucionou sua época e simplesmente emociona até hj todos nós.
Parabéns pelo post Rubi, brilhando como sempre!


Deixo uma dica: Não sei se vc já fez mas conhece a série Chips que passava a anos atras? Se não depois me diz. Uma dica pra vc!

Beijos
Renata

Dilberto L. Rosa disse...

Um Deus do Cinema: assim eu o definiria... Amo-o!

Acreditas que eu tinha todos estes clássicos do Cinema mudo em VHS? Perdi quase tudo para o mofo... Triste...

Gostei muito do teu texto biográfico sobre ele; só não concordo com o "cinema pastelão" e a palavra "roteiro" entre aspas (como se não houvesse um naqueles filmes aparentemente simples) do teu texto: pois eu lhe digo - aquilo era o início da Sétima Arte! Era o artesanato mais puro e genial! E Chaplin (ao lado de Buster Keaton, Harold Lloyd, Max Steinner, dentre outros poucos) foi um dos seus maiores gênios criadores e definidores do que viria a ser a comédia cinematográfica depois disso...

Fiquei feito louco lá nos Morcegos: eu tinha como certo de que havia visto um comentário muito gentilmente elogioso por lá, mas não me lembro em que pôster... Só que já procurei tanto e não consegui achar... Foste tu, não? Volta lá, então,serás sempre muito bem-vinda!

Eu já conhecia uma Ruby (com 'y'), igualmente apaixonada por estas gravuras 'vintage' com mulheres linda e sensualmente desenhadas (também as adoro): conheça-a, vais achar interessante as semelhanças - http://lavierose.blogspot.com/

Adorei sua trilha mais que eclética...

Meu abraço e voltarei sempre!

Blog UaiMeu! disse...

Rubi vc escolheu um grande cara pra homenagear.Esse cara conseguiu conquistar gerações de uma forma brilhante.Eu nunca me esqueço quando eu estava na 5° serie e a professora de história levou a gente na sala de video para ver o filme dele.Todo mundo achou ruim de ínicio,o filme era preto e branco e a criançada pediu pra professora tirar kkkk lembro dela dizendo: "espera que vcs vão gostar" kkkk não deu 5 min todos os alunos estavam quietos, prestando atenção e rindo pra caramba.No dia seguinte todo mundo pediu pra ela por o filme de novo kkkkk Era o filme dele numa fabrica mas me esqueci do nome agora.
Eu tenho certeza que todos os humoristas se inspiram nos 3 patetas ,no gordo e o magro e claro principalmente nele
Abraço Ricardo Madruga

disse...

Que dizer de Chaplin? Só o fato de ele ainda conquistar o público com obras feitas há quase um século já prova sua genialidade. Meu filme favorito dele é "Luzes da Cidade", magnífico!
Beijos!

Karla Hack dos Santos disse...

Adoro o montante de informações que vc junta.. dá credibilidade.
Chaplin - divo total - era um gênio na cinedramaturgia... um talento completo e ousado, figura emblemática!

;D

Fabi disse...

ai Chaplin, divo total, que homem!
não tenho como descrever, um homem desses em algumas palavras

Anônimo disse...

Revejam o filme el circo com chaplin e Merna Kennedy uma joia ela era linda pena que morreu tão jovem adorei o filme o circo com ela e chpalin

Postar um comentário

Esse blog destina-se a trazer informações, curiosidades, músicas e muitas dicas. O universo de pesquisa é muito vasto e se você tiver interesse em algo ou alguém deste universo em especial, faça sua sugestão e na medida do possível tentarei apresentar um trabalho que lhe agrade.

 
↑Top