quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Mala Powers

Nascida em 20 de dezembro de 1931 na cidade de São Francisco, Califórna, Mary Ellen Powers, que mais tarde adotaria o nome de Mala Powers; foi uma renomada atriz de cinema norte-americano. A partir de 1940, aos 9 anos de idade, quando sua família já residia em Los Angeles, Mala Powers entrou para o Max Reinhardt Junior Workshop. Alí conseguiu seu primeiro papel numa peça de teatro; e dois anos mais tarde teve uma participação no filme Tough as They Come com o grupo Dead End Kids. Aos 16 anos de idade, participou de um drama transmitido por uma rádio local; seu talento começpu a despontar e finalmente em 1950 iniciou de forma efetiva a sua carreira cinematográfica. Neste mesmo ano, estrelou em Outrage, seguido por Edge of Doom; e suas atuações conduziram o diretor Stanley Kramer a convidá-la para contracenar com José Ferrer no filme Cyrano de Bergerac, interpretando a personagem Roxane, que lhe rendeu uma indicação para o Globo de Ouro.

Em 1951 durante uma turnê pela Coréia, numa ação movida pela USO (organização sem fins lucrativos de entretenimento para soldados em campo de batalha), Powers contraiu uma séria doença sanguínea que quase causou sua morte. Seu tratamento foi a base de cloranfenicol (um poderoso antibiótico) que acabou afetando sua medula óssea, estendendo de forma lenta sua recuperação. Voltou a trabalhar somente no ano seguinte no filme City Beneath the Sea, City That Never Sleeps em 1953, e The Yellow Mountain em 1954, ainda em tratamento médico.

A partir de 1955, já recuperada da emfermidade, intensificou seus trabalhos participando de filmes de faroeste classe B como Rage at Dawn (1955) e ficção científica, tais como: The Colossus of New York (1958), Tammy and the Bechelor (1957), Fight of the Lost Baloon (1961) e Doomsday Machine (1972). Paralelamente participou de cerca de 100 aparições em shows de TV, entre eles seriados de grande popularidade como Tombstone Territory, The Rebel,Bronco, The Wide Country, Dr. Kildare, Daniel Boone, Bewitched (A Feiticeira), Charlie's Angels (As Panteras), Maverick, Bonanza, Wild Wild West, Perry Mason e The Man anda the City (filme produzido para TV ao lado de Anthony Quinn). Em sua vida pessoal, Powers casou-se em 1954 com Monte Vanton com o qual teve o filho Toren Vanton; divorciando-se em 1962; posteriormente em 1970 casou-se com o editor de livros M. Hughes Miller que acabou incentivando-a a escrever alguns livros infantis com destaque para Follow the Star e Follow the Year, respectivamente 1980 e 1985. Por volta de 1993, passou a dar aulas de teatro e interpretação na University of Southern Maine para alunos do Michael Chekhov Theatre Institute. Encerrou sua carreira em 2005, quando apareceu no curta The Connextion; dois anos depois, no dia 11 de junho de 2007 faleceu aos 75 anos de idade, devido a complicações da leucemia.

13 comentários:

Iza disse...

Realmente uma grande atriz. Não sabia que ela tinha participado de A Feiticeira. Adorava assistir quando era menor. Beijos <3

Cafajeste Sedentário disse...

Ótima atriz,e uma mulher muito bonita também. Contribuiu muito para o cinema a tv,não só norte-americana com também mundial,afinal com seu talento deve ter influenciado muita gente.

Maxwell Soares disse...

Bem recente a sua morte. Não a conhencia Rubi. O trajeto de Mary Ellen Powers ou Mala Powers como ela mesma preferia ser chamada é fantástica. Sua experiência vem desde criança até se tornar professora de teatro. Um vida bem vivida. Agora, Rubi, por favor, fale-me uma coisa: como você consegue agrupar todos esses astros do cinema de uma maneira tão didática? É invejável tudo isso. Um mulher com um talento estupendo. Parabéns pelo excelente trabalho de pesquisa. Seu blogger, Rubi, exala paixão. Paixão pela sétima arte. Até...

Beatriz Alencar disse...

aah ela é linda Rubi, e atuou durante muito tempo; Ela viu mais da metade da história do cinema, muito legal. Mas voce Rubi,não vai parar com a mania de me mostrar atores que eu não conhecia né? hehe, Abraços,

M. disse...

Que mara! Gostei demais de ler sobre a Mala Powers! Um aprendizado e tanto vir aqui.

Bruna Worspite disse...

Seus post's são ótimos, levando sempre cultura adiante!

Linda a Sra Powers, belíssima carreira e linda atriz!


Bjs

Blog: Blog Worspite Noivas

Sorteio de um Buquê: *Clique Aqui e participe!*

Gabriel França disse...

Curioso para conferir algum trabalho dela. Não a conhecia.

PS. Adorei essa música!

disse...

Bonita, talentosa e ainda escreveu livros infantis! Fico pensando se a doença que teve na década de 1950 não teria influenciado sua leucemia décadas mais tarde.
Beijos!

Patrícia disse...

Era linda e o melhor tinha talento!!!
As series A Feiticeira e As panteras participou em episódios, né, foi personagem fixo não foi?
Bjão, Rubi

Kamilly Almeida disse...

Que linda a Mala! Quero conferir algum trabalho dela!
Estou seguindo aqui, adorei seu blog! Se quiser conhecer o meu:
www.infinitofeminino.com

Beijinhos, Kah.

Sonhos Pré-Concebidos disse...

Olá! já esta sabendo que o nosso blog voltou? vamos trazer muitas novidades em breve! da uma passadinha lá? aliás,não conhecia a atriz '-' muito legal esse post.
-
Flávia!
Blogs Sonhos Pré-Concebidos.

Tsu disse...

Oi Rubi ^^
Muito bonita essa atriz...a segunda foto..que filme é? Gostei da caracterização.
Bom, El Hazard é uma obra de anime por quem tenho muito carinho rs. Especialmente o OVA, que eu conheci muito depois da série de tv. Sobre vilões da Disney o melhor para mim foi o Claude Frollo..muito sinistro. Quando vi um cara profissa fazer cosplay dele num evento aqui de SP ao vivo quase surtei kkkk. Sério, na apresentação da música Hellfire arrepiou.
A Bienal vai rolar em vários dias mas eu vou apenas no dia 18! Mas vamos conversando..quem sabe nesse evento vc não fura e vai? Kkk.
bjs

Angel disse...

É vasta sua intelectualidade cinéfila e se me permite um palpite sem mesmo saber se já postou algo sobre ele mas achei que o ator Vincent Price tem a cara do seu blog.
Bj e boa semana ;)

Postar um comentário

Esse blog destina-se a trazer informações, curiosidades, músicas e muitas dicas. O universo de pesquisa é muito vasto e se você tiver interesse em algo ou alguém deste universo em especial, faça sua sugestão e na medida do possível tentarei apresentar um trabalho que lhe agrade.

 
↑Top