segunda-feira, 21 de novembro de 2011

O Cinema no Mundo - Parte IV

Em Portugal, o primeiro filme, Saída do Pessoal da Fábrica Confiança (1895), foi feito por Aurélio da Paz dos Reis ( foto ao lado). A partir daí outros diretores iam destacando-se com Batalha das Flores, O Rapto de Uma Actriz, Malmequer, A Portuguesa Cavalaria, entre outros. Da década de 20 a década de 40, uma nova geração de cineastas composta por Leitão de Barros, António Lopes Ribeiro, Jorge Brum do Canto e Arthur Duarte surpreendiam o mundo cinematográfico, juntamente com as estrelas Eduardo Brazão, Brunilde Júdice, António Pinheiro, Vasco Santana, António Silva, Maria Matos, Ribeirinho e Maria Olguim. Os filmes: 'Lisboa, Crónica Anedótica', A Dança dos Paroxismos e Douro, Faina Fluvial abriram novos caminhos para o cinema português e para a criação de um novo gênero, A Comédia À Portuguesa. Surgia assim A Idade de Ouro com os filmes: A Canção de Lisboa, O Pátio das Cantigas e A Menina da Rádio. Finalmente, na década de 50 Manuel Guimarães produziu Saltimbancos e Nazaré; baseado no neorrealismo italiano.

O Reino Unido (Inglaterra, Irlanda do Norte, Escócia e País de Gales) também é um grande produtor de cinema. Filmes como Doutor Jivago e a sequência de Harry Potter foram feitas em parceria com outros países. Além das produções, os diretores Alfred Hitchcock, Christopher Nolan e Ken Loach e a inesquecível Audrey Hepburn merecem destaque. Na Dinamarca o primeiro filme foi Korsel med Gronlandske Hunde de Peter Elfelt. Na década de 10, a Dinamarca passou por um momento favorável na construção de empresas cinematográficas e também nas produções; a este período deu-se o nome de A Era de Ouro do Cinema Dinamarquês. Filmes como Atlantis, Hævnens Nat e Bog Satans estão entre os mais populares. Em 1931 com The Pastor of Vejlby, surgia o cinema falado e as grandes estrelas Marguerite Viby, Schønberg Ib e Malberg Peter. Da década de 40 a década de 50 o cinema dinamarquês ganhou notoriedade com as produções Black Tie, Melody of Murder e o diretor Johan Jacobsen.

Nomes como Charles Dekeukeleire e Henri Storck fizeram sucesso na década de 30 com adaptações de obras literárias, tais como De Witte, porém, a sequência de Tintin dirigida por Raymond Leblanc em parceria com a França, é a produção mais conhecida da Bélgica; além dos cineastas Jean-Jacques Andrien, Chantal Akerman, Irmãos Dardenne e Agnès Varda. Na Albânia o documentário sobre o Congresso de Monastir foi o primeiro filme produzido no país; seguido por Skënderbeu em parceria com a União Soviética de 1945 e Tana do diretor Kristaq Dhamo, estrelado por Tinka Kurti. O filme de 1958 foi o primeiro a ter cena de beijo. Na Armênia, tudo começou em 1923 com o documentário Armênia Soviética, seguido por Namus de Hamo Beknazarian e Pepo; primeiro filme sonoro lançado em 1935. A Suécia teve sua parcela de contribuição para o cinema mundial com o clássico Körkarlen (A Carruagem Fantasma) de 1921 dirigida e estrelada por Victor Sjöström. Além da atriz Ingrid Bergman e o diretor Ingmar Bergman.

Na Áustria o primeiro filme, Am Sklavenmarkt (1906) foi dirigido por Johann Schwarzer. Entre as décadas de 10 e 20 os grandes cineastas foram Erich von Stroheim, Josef von Sternberg, Henry Lehrman, Carl Mayer, Hans Janowitz e Paul Czinner. Dentre os muitos filmes; Inferno, The Hands of Orlac, Prinz und Bettelknabe, Samson und Delila e Sodom und Gomorrha estão entre os mais famosos. Com a Segunda Guerra Mundial muitos artistas judeus foram obrigados a deixar o país, dando continuidade a carreira nos EUA. Entre eles estavam: Erich Engel, Walter Reisch, Billy Wilder, Fred Zinnemann, Otto Preminger e Edgar G. Ulmer. Com a Trilogia Sissi, o diretor Ernst Marischka fez da Áustria um grande produtor de cinema. Outros atores tão importantes quanto Romy Shcneider foram: Peter Alexander, Attila Hörbiger, Magda Schneider, Lobo Albach-Retty e Hans Moser.

Na Rússia e Grécia o cinema também atingiu certo nível de popularidade. O primeiro filme russo foi Stenka Razin de Aleksandr Drankov. Com a Revolução Russa as produções anti czaristas ganharam notoriedade até a década de 20, quando Sergei Eisenstein lançou O Encouraçado Potemkin (1925 - foto ao lado), visto como um dos maiores clássicos de todos os tempos. Posteriormente Aleksandr Nevsky dirigiu Ivan, o Terrível na década de 40. Destaque também para Circus e The Stone Flower. Na Grécia o primeiro "filme" foi um noticiário sobre os Jogos Olímpicos de 1906, seguido pelos filmes de Spiros Dimitrakopoulos. O primeiro longa metragem foi Golfo, porém o sucesso só viria em 1922 com o filme Villar in the women's baths of Faliro estrelado por Nikolaos Sfakianakis e Nitsa Philosofou. O cinema falado surgiu em 1932 e trouxe consigo grandes obras e grandes estrelas tais como Katina Paxinou e Melina Mercouri. De 1950 a 1960, a Era de Ouro na Grécia era marcada por Cacoyannis Alekos Sakellarios, Nikos Tsiforos, Ellie Lambeti, Dinos Iliopoulos e Irene Papas. Nos outros países do continente Europeu, os filmes mais famosos foram feitos da década de 50 até os dias atuais.

7 comentários:

Olavo Marques disse...

Você faz inúmeros jogos em powerpoint mas não sabe onde publicar...

Então visite o blog:

Jogos em PowerPoint

Aqui você pode baixar e publicar jogos em PowerPoint, é facil e grátis!

Visite-nos em:

http://jogosempowerpoint.blogspot.com/

E divirta-se!!!

Beatriz Alencar disse...

AUDREY MEU AMOR! *-----------* hehe, grande post :D
O Steven Spielberg fez uma animação em stop-motion de As Aventuras de TinTin que vai ser lançado no fim deste ano...Vindo dele, espero que seja tão bom quanto o clássico!

Lele Fernandes disse...

Já ouvi falar sobre O Encouraçado Potemkin, sempre tive vontade de ver, porém, sem sucesso nessa empreitada.

http://estilooque.blogspot.com/

Blog UaiMeu! disse...

Olha que interessante? Não sabia que Portugal fazia
ou tinha qlq ligação com o cinema, talvez um mero
relapso da minha parte mas nunca tinha ouvido falar...
Que bom, Rubi!!!

Todos os filmes de Audrey Hepburn são bons, bonequinha
de luxo é show de bola. Acho tão mágico ela cantando
Moon River que é maravilhoso olha o link ai se vc nunca
viu http://www.youtube.com/watch?v=BOByH_iOn88

Sissi eu nem vou falar pq vc sabe que eu AMO né? Rsrs
Que bom que citou a Austria... fantastico!

No mais fico mto feliz em saber que vc curte meus
comentários. Eles são feitos com mto carinho pois
é o que eu sempre achei qdo comentou no nosso blog.

Vou lembrar de outros filmes bacanas para te indicar,
é um prazer fazer isso!

beijos

Renata

good animes disse...

E AEE PO CURTI O BLOG ADORO COISAS CLASICAS JA ESTOU SEGUINDO O SEU SEGUE O MEU SE VC PUDER http://goodanimess.blogspot.com/

Karla Hack dos Santos disse...

O encouraçado Potemkin é indispensável!
Minha irmã é ultra-mega-super fã de Sissi.. Ama!
Audrey em qualquer citação sobre cinema é essencial... Uma diva!
Ah.. gostei que lembrou de Harry Potter.

Fantástica este seu passeio através do cinema mundial!

;D

Bruna Worspite disse...

Olá!
Confesso que não conhecia este filme, mas foi bem legal conhecer e também conhecer um pouco mais sobre quem fez parte do elenco!


Bjs
http://bruhworspite.blogspot.com/

Postar um comentário

Esse blog destina-se a trazer informações, curiosidades, músicas e muitas dicas. O universo de pesquisa é muito vasto e se você tiver interesse em algo ou alguém deste universo em especial, faça sua sugestão e na medida do possível tentarei apresentar um trabalho que lhe agrade.

 
↑Top