quarta-feira, 4 de julho de 2012

Janet Gaynor

Em 6 de outubro de 1906, nascia na Filadélfia, Laura Augusta Gainor que mais tarde encantaria a arte do cinema mudo com enorme talento, adotando o nome artístico de Janet Gaynor. Assim como a maioria dos grandes atores e atrizes, Janet deu seus primeiros passos rumo a carreira artística muito cedo, em 1923, aos 17 anos tão logo formou-se no colégio. Após a infância junto aos pais, decidiu aventurar-se em Los Angeles em busca de seus sonhos. Foi um começo difícil, onde sustentava-se com um pequeno salário que recebia trabalhando numa loja de sapatos. No ano seguinte, participou de sua primeira experiência cinematográfica com um pequeno papel no filme Cupid's Rustler; seguindo-se a este várias outras participações sem muita expressão.

Entretanto, em 1926, o diretor Irving Cummings acreditou em seu potencial e escalou-a para um dos principais papeis de seu filme The Johnstown Flood, tendo como personagem Anna Burger. Neste mesmo ano, foi selecionada para participar WAMPAS Baby Stars (Campanha organizada pela Associação de Anunciantes Cinematográficas que homenageava jovens atrizes em destaque), ao lado de Joan Crawford, Dolores del Río, entre outras. A aposta de Irving Cummings revelou ao mundo do cinema o grande potencial de Janet, que lhe abriu as fronteiras grandes papeis em grandes produções. Seguindo a lógica de suas performances em Seventh Heaven (1927, ao lado de Charles Farrel), Sunrise (1927) e Street Angel (1928, novamente com Charles Farrell), Janet arrebatou o Oscar de Melhor Atriz nas três produções; sendo a atriz mais jovem a ganhar o prêmio até 1986. A parceria com Farrell, além de lhe proporcionar o Oscar, rendeu-lhe mais de 10 filmes com o ator. Janet era considerada a principal atriz da Fox Studios (mais tarde 20th Century Fox), por isso era sempre escolhida para os papeis principais das produções do Estúdio.

Foi assim em Sunny Side Up, Delicious, Merely Mary Ann, Adorable, State Fair com Will Rogers e The Farmer Takes a Wife que marcou a estreia de Henry Fonda nas telas do cinema. Em 1937, encerrou seu contrato com a Fox com o Ladies in Love ao lado de Constance Bennett e Tyorne Power; e no mesmo ano, já como atriz do Selznick International Pictures, foi nomeada para o Oscar com o filme A Star is Born. Em 1938, apareceu no filme The Young in Heart ao lado de Paulette Goddard e encerrou sua carreira, e ficaria cerca de 20 anos afastada das telas, dedicando-se a sua vida pessoal junto ao seu marido Adrian.

No entanto, em 1939, apesar da decisão tomada, aceitou o convite para fazer parte de uma série de rádio no programa Lux Radio Theater, intepretando a Baroness Mary Vetsera. Na década de 50, adquiriu uma propriedade em Anápolis, interior de Goiás, vendendo-a em 1960 para morar na Califórina. Em 1957, ressurge nas telas no filme Bernadine interpretando a mãe de Pat Boone. Neste mesmo ano, recebe o The George Eastman Award pela sua contribuição ao cinema e em 1981, encerra de fato sua carreira, com o seriado The Love Boat. Na década de 70, brindou o público com outra faceta de seu talento, desta vez como pintora, quando suas obras foram expostas no Wally Findlay Galleries. Na vida pessoal, Janet casou-se por três vezes, de 1929 a 1933 Jesse Lydell, de 1939 a 1959 Adrian (com o qual teve um filho, Robin Gaynor) e Paul Gregory de 1964 até 1984. Em 1982, durante um passeio de carro ao lado do marido Paul, de Mary Martin (amiga de longa data) e seu gerente Ben, Janet foi vítima de um terrível acidente, quando foi atingida por outro carro em alta velocidade; que lhe causou a quebra de 11 costelas, além de fraturas e perfurações nos rins.

O acidente ainda provocou a morte de Ben e ferimentos nos demais passageiros. Responsabilizado pelo acidente, Robert Cato que conduzia o veículo em alta velocidade, ultrapassando o sinal vermelho, foi condenado a três anos de prisão por dirigir embriagado e homicídio culposo. No dia 14 de setembro de 1984 após várias cirurgias e complicações, motivadas pelo acidente ocorrido dois anos antes, Janet faleceu aos 77 anos de idade. Seu corpo foi sepultado no cemitério Hollywood Forever ao lado de Adrian; porém na lápide a inscrição de seu nome levou o sobrenome de seu último marido "Gregory". Janet Gaynor deixou aos fãs um enorme legado além de uma estrela na Calçada da Fama de Hollywood.

15 comentários:

renatocinema disse...

Aula de cinema....como estudante de história fico encantando com a riqueza desse site.

Parabéns.

disse...

Gosto demais da Janet Gaynor! Ainda não vi muitos filmes dela, mas em compensação ela é a protagonista de meu filme favorito, Nasce uma Estrela.
Não sabia que ela havia feito uma exposição de quadros.
Ah, Rubi, o filme Pele de Asno, sobre o qual eu escrevi já há algum tempo, vai passar amanhã no canal Futura, às 22h, com reprise no domingo também às 22.
Beijos!

Nicole O. disse...

fotos lindas!
adorei o blog, minha cara...
beijos
umanoitemparis.blogspot.com

Gabriel França disse...

Só agora a conheci. Ótimo texto, como sempre, Rubi.

Alice Oliveira disse...

Adoro o seu blog! Sempre que venho aqui aprendo coisas novas!!

http://www.rebucomcafe.blogspot.com.br

beijinhos

Iza disse...

Que linda ela! Não conhecia (na verdade há muitos e muitos atores da Old Hollywood que eu não conheço) mas gostei muito de sua biografia. Seu blog é uma verdadeira enciclopédia do cinema antigo pra mim. Beijos <3

Bruna Worspite disse...

É uma diva mesmo!
Inspirando a gente a sempre corre atrás de nossos sonhos!


Bjs
Worspite Noivas

Jefferson C. Vendrame disse...

Oi Rubi, como vai?
Parabéns por essa Ótima postagem sobre Gaynor,sem dúvidas, uma grande diva do cinema Clássico.
Eu desconhecia essa tragédia que ela sofreu nos anos 80 quando idosa, que fato triste.
Ótimas fotos também, como sempre seu Blog perfeito.

Grande Abraço

Patrícia disse...

Ainda era pintora, que maravilha!
Que fotografias lindas, adoro fotos preto em branco e de época.
E que lamentável ,o acidente parece fato de hoje que termina em pena branda e isso não foi no Brasil , imagina se fosse :((
Excelente post mais uma vez Rubi, parabéns

Beatriz Alencar disse...

As biografias postadas aqui são sempre detalhadas e ótimas! É incrível como cada artista teve uma vida peculiar e com grandes acontecimentos. Muito interessante a vida de Janet Gaynor, abraços, :D

M. disse...

Oi Rubi, essas suas biografias fazem muito bem a alma! Adoro vir aqui sempre. Abraço e excelente semana!

Tsu disse...

Oi Rubi ^^
Nossa, o acidente que essa bela atriz sofreu foi terrível...e o cara só foi punido por três anos/ absurdo...

AHSHASHA tá dificil encontrar um artigo meu que vc ainda não tenha visto? Ah mas acho que ainda tenho arsenal pra vc comentar o/ To na correria eterna e fica cada vez mais dificil atualziar o blog..to tentando fazer o que posso pra conciliar tudo.
Sobre Kuroshitsuji é um anime que gostei muito. Mesmo tendo temática yaoi (que detesto) tento ignorar isso porque os traços e a história em si é muito boa. Eu recomendo...o bom é que logo o mangá será lançado no Brasil..e o mordomo Sebastian é o homem que toda mulher (e muitos homens rs) gostariam de ter!
Eu não consigo me acostumar com a correria..tento apenas sobreviver á ela.
bjs!

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Desculpe-me pelo sumiço. Estava enrolado com o lançamento de dois livros.Mas já estou de volta! Adoro a Janet Gaynor. Tão talentosa!

O Falcão Maltês

Aline Diedrich disse...

Que ótimo post! Há dias não passava por aqui... Já estava sentindo falta de ler seu blog...

Maxwell Soares disse...

Olá, Rubi. Não conheço outro blogger que busque com tanta paixão a história dos grandes atores e atrizes. É impossível não se apaixonar por seu texto. E, acredite, passamos a gostar, também, do homenageado(a). Janet Gaynor viveu uma vida difícil chegando a desenvolver uma bela carreira mesmo vítima de um acidente como bem você relata. O seu espaço, Rubi, é um dos mais frequentados por mim. É parada obrigatória. Fico feliz em tê-la encontrado. Aprender com quem sabe é uma experiência maravilhosa. Parabéns...

Postar um comentário

Esse blog destina-se a trazer informações, curiosidades, músicas e muitas dicas. O universo de pesquisa é muito vasto e se você tiver interesse em algo ou alguém deste universo em especial, faça sua sugestão e na medida do possível tentarei apresentar um trabalho que lhe agrade.

 
↑Top