quarta-feira, 12 de junho de 2013

Raymond Massey

Em 30 de agosto de 1896, nascia em Toronto/Canadá, o ator Raymond Massey Hart, filho do proprietário da poderosa Massey Ferguson Tractor Company ( Chester Daniel Massey). Concluiu seus estudos no Balliol College, Oxford pouco antes do início da Primeira Guerra Mundial, quando alistou-se no exército canadense compondo a artilharia na Frente Ocidental. Após sofrer um trauma durante as batalhas, retornou ao Canadá assumindo o cargo de instrutor de oficiais americanos na Universidade de Yale. Em 1918, voltou aos campos de batalha, dessa vez na Sibéria, local onde subiu aos palcos pela primeira vez numa peça que tinha como objetivo elevar o moral das tropas americanas. Com o final da Guerra, retornou ao Canadá onde foi trabalhar junto ao pai; porém o gosto pelo teatro fez com que se dedicasse a profissão de ator reestreando em 1922 em Londres.

 A paixão pela arte de representar conduziu-o as telas de cinema em 1929 no filme High Treason, porém sem receber créditos. Em 1931 interpretou Sherlock Holmes no filme The Speckled Band, naquele que seria o primeiro filme falado do personagem em questão. A este seguiram-se The Old Dark House (com Boris Karloff), The Face at the Window, The Scarlet Pimpernel (com Leslie Howard e Merle Oberon). Suas interpretações sugestionaram HG Wells a convida-lo para fazer parte do elenco de Things to Come (Daqui a Cem Anos) em 1936; e outros grandes sucessos como: The Prisoner of Zenda (ao lado de Ronald Colman), Reap the Wild Wind (ao lado de John Wayne), Desperate Journey (com Errol Flynn), The Woman in the Window (com Edward G. Robinson), Arsenic and Old Lace (ao lado de Cary Grant), A Matter of Life and Death (com David Niven), Mourning Becomes Electra (com Rosalind Russell), Battle Cry (ao lado de Nancy Olson), East of Eden (com James Dean)How the West Was Won (com Henry Fonda).

Em 1940 Massey recebeu indicação ao Oscar por sua interpretação no filme Abe Lincoln in Illinois, com o personagem título; mesmo papel que havia vivenciado anteriormente numa peça da Broadway. Com a chegada da Segunda Guerra Mundial, Massey juntou-se a Katharine Cornell para ajudar o Exército e a Marinha Americana; e fez questão de retornar ao Exército Canadense sendo liberado do serviço militar. Terminada a Guerra, tornou-se cidadão americano e recebeu nova indicação ao Oscar por seu trabalho no filme Possessed ao lado de Joan Crawford. À partir de 1955 passou a dedicar-se a produções destinadas a TV, entre eles:  The 20th Century-Fox Hour, Robert Montgomery Presents, I Spy,  Westinghouse Desilu Playhouse,  Alfred Hitchcock Presents e, Dr. Kildare que o tornou figura popular pelo personagem Dr. Leonard Gillespie. Embora de origem canadense, Massey cativou o público por seus papeis de personagens norte-americanos, em especial o abolicionista John Brown nos filmes Santa Fe Trail e Seven Angry Men respectivamente 1941 e 1955; e curiosamente desempenhou apenas um personagem canadense, em sua carreira, isto no filme 49th Parallel de 1941.

Encerrou sua carreira no cinema em 1969 no filme Mackenna's Gold e na Tv em 1973 no seriado My Darling Daughters' Anniversary. Em sua vida pessoal, casou-se três vezes: com Margery Fremantle (com a qual teve um filho, Geoffrey Massey); Adrianne Allen (com dois filhos Anna Massey e Daniel Massey) e Dorothy Whitney, com a qual permaneceu até sua morte em 1982. Massey faleceu no dia 29 de julho de 1983 aos 86 anos de idade vítima de pneumonia. Atualmente é lembrado por sua extensa filmografia (cerca de 100 obras dentre filmes e seriados) e duas estrelas na Calçada da Fama de Hollywood, uma pelo seu trabalho no cinema, e outra pela televisão.

9 comentários:

disse...

Vi Raymond Massey recentemente em O Furacão, dirigido em 1937 pro John Ford, e me impressionei porque só o conhecia mais velho, em filmes posteriores. Muito bacana e curioso sua carreira ter começado na Sibéria!
Beijos!

REINVENTANDO disse...

Nossa Rubi, vá conhecer de arte assim longe..amo vim aqui e conhecer mais histórias de artistas.
Abraços.Sandra

Tsu disse...

Oi Rubi!
Você apareceu novamente, aeee!!!
Eu sempre gosto desses posts sobre atores e atrizes de época...cada um tem sua história sempre interessante. No caso referente á periodos de guerra e tudo o mais.
Sabe eu já não prometo nada que faria mais postagens no blog ou coisa do tipo...nunca consigo cumprir kkkk. Mas mesmo assim uma coisa é fato: não podemos abandonar nossos blogs hohohohoh.
Tenho certeza que vc irá gostar do Teatro dos Contos de Fadas. Encontrará atores e atrizes conhecidos ^^. Quero ver se descolo a animação da Rainha da Neve...tive boas impressões quando vi as imagens.
bjs

Suzane Weck disse...

Ola querida amiga,conhecia este ator um pouco por alto,foi ótimo saber mais á seu respeito através de tua excelente informação.Grande fim de semana e grande abraço.Su

Aline Diedrich disse...

A vida da voltas... Dos campos de batalha aos palcos!

Bruxa disse...

Oi Rubi!
Quantas personalidades interessantes vc nos traz. Muitas vezes, as pessoas pensam que o mundo do cinema e teatro são só maravilhas e há muitos anos atrás, os atores "ralavam" muito pra produzir, atuar e viverem seus sonhos.
Bom que ele teve reconhecimentos em vida.

Abração e ótima semana.

Patrícia disse...

Rubi, essa semana indiquei seu blog pra um colega de trabalho...sempre aprendemos muito aqui, adoroooo
Bjs e boa semana

Beatriz Alencar disse...

Eu sempre ignorante em relação ao cinema antes de Cidadão Kane, hehe, só vc pra trazer á tona Raymond Massey e sua curiosa carreira. Primeira vez que vejo um soldado virar ator, incrivel :D

Jefferson C. Vendrame disse...

Conheço bem pouco o trabalho de Massey. O vi em apenas dois filmes, A ESTRADA DE SANTA FÉ e VIDAS AMARGAS. Como o Sr. Trask, pai carrasco de Cal Trask, (James Dean), sua interpretação foi memorável. Inclusive, segundo consta, o relacionamento entre os dois nos bastidores era horrível, uma vez que, J.Dean o irritava propositalmente na intenção de obter dele um melhor desempenho...

Ótimo Texto Rubi...

Grande Abraço!

Postar um comentário

Esse blog destina-se a trazer informações, curiosidades, músicas e muitas dicas. O universo de pesquisa é muito vasto e se você tiver interesse em algo ou alguém deste universo em especial, faça sua sugestão e na medida do possível tentarei apresentar um trabalho que lhe agrade.

 
↑Top