quarta-feira, 5 de junho de 2013

Things to Come - Daqui a Cem Anos

Ao longo da semana que se passou, estive envolta em outras atividades que tomaram grande parte do meu tempo disponível, impossibilitando-me de redigir um texto nos padrões que venho mantendo até então; por isso optei por não editar nenhum trabalho neste período.
O gênero ficção científica já fazia sucesso muito antes de Méliès reproduzir nas telas uma adaptação da obra de Julio Verne; no entanto, o clássico Viagem à Lua abriu as portas para que outros diretores produzissem obras fantásticas e cheias de efeitos visuais. Alguns filmes são citados até hoje como verdadeiros ícones do gênero, tais como Metropolis, Blade Runner, a quadrilogia Alien e 2001- Uma Odisséia no Espaço. Hoje, no entanto, abordarei uma obra pouco conhecida, mas que traz no seu enredo algo que nos faz pensar nas alternativas de um mundo pós guerra.

Em 1936, o produtor Alexander Korda sob a direção de William Cameron Menzies trouxe as telas o filme Things to Come (Daqui a Cem Anos). A história começa na cidade de Everytown na véspera de natal do ano de 1940, quando John Cabal (Raymond Massey) conversa com o Dr. Harding (Maurice Braddell) e Pippa Passworthy (Edward Chapman) sobre uma possível guerra assolar o país. Mesmo com o otimismo dos amigos e parentes e a descrença da população, a Segunda Guerra Mundial estoura e dura mais de 20 anos, deixando a terra num estado desolador. Em meados da década de 60, a nova geração se vê obrigada a recomeçar do zero, sem qualquer tipo de tecnologia; contando apenas com Rudolf,o chefe (Ralph Richardson).

Em meio aos destroços e às ordens do novo líder, a população é surpreendida com a presença do, agora aviador, John Cabal. A partir daí, um novo grupo, com novos príncipios se forma. Indo de 1940 a 2036, o filme aborda de forma inteligente e imaginativa os temores e as expectativas de uma nação em busca de paz e harmonia.


Bastidores: Produção e curiosidades - Um filme premonitório
Para o personagem Theotocopulos, inicialmente foi selecionado o ator Ernest Thesiger, porém, insatisfeito com seu desempenho, o roteirista H.G. Wells optou por substituí-lo por Cedric Hardwicke; sendo necessário refazer todas as cenas já gravadas. Presume-se que Wells tenha tido controle total sobre a produção de Things to Come, porém sua influência não foi tão significativa, tanto que a versão original continha 130 minutos e após várias modificações e cortes, foi lançado com 108 minutos.

Outra questão que evidencia esse fato, ficou por conta da ideia original de Wells de constituir o filme à partir de uma trilha sonora pré-estabelecida; o que acabou não acontecendo. A cidade de Everytown foi baseada em Londres, inclusive, em determinada cena pode-se visualizar a St Paul's Cathedral (Catedral de São Paulo). O filme escrito em 1934 era uma previsão trágica para a Segunda Guerra Mundial, e as cenas onde se usava bombas de gás trouxe muito temor com a possibilidade dos alemães adotarem a mesma tática durante a guerra. O escritor e estudioso britânico Sir Christopher Frayling chama Things to Come "um marco no projeto cinematográfico", sendo considerado pela crítica como a primeira superprodução no gênero ficção científica do cinema mundial. Things to Come foi classificado como um dos melhores filmes britânicos de 1936.

7 comentários:

disse...

Gosto muito dos filmes clássicos de ficção científica. Vi que este filme está disponível no Youtube, e estou louca para vê-lo.
E o mundo marcha, de 1934 e dirigido por John Ford, também faz uma curiosa premonição sobre a Segunda Guerra Mundial.
Beijos!

Rodrigo Ferreira disse...

Sempre visito seu site e blog. Mas desculpe porque não é com frequência. Mas adoro os filmes que você coloca aqui os atores e atrizes que já morreram adoro saber sobre essas coisinhas rs.

rodrigobandasoficial.blogspot.com.br

REINVENTANDO disse...

Muito bom um post onde aprendemos mais sobre ficção cinetífica.
Abraços.Sandra

Fernando disse...

Olá Rubi
Andei lendo sobre este período do cinema
E é bem legal poder ver o que estes caras fizeram para que hoje possamos ver os filmes que arrematam bilheterias.
Conheço um pouco mais sempre que venho aqui.
gde abrsss
Blog Fernu Fala II

Patrícia disse...

Caramba adorei, vou procurar esse filme , Rubi
Nossa H G Wells foi roteirista desse filme? Reli o livro dele A Ilha do Dr Moreau ( o adaptação para o cine acho horrível)
Blade Runner, Alien e 2001- Uma Odisséia no Espaço já os vi , são filmes q podemos ver sempre e não cansa...ahh tenho certeza que vou gostar da sua dica...adoro ficção científica.
Aprendendo sempre aqui, adoro!
E vc como está? Voltei a blogar, em passos lentos rsrsrrs
Boa semana pra vc, bjs

Beatriz Alencar disse...

Já tinha houvido falar desse filme; Ele está na lista dos ''Filmes de ficção cientifica que erraram feio sobre o futuro.'' Mesmo assim, a historia é tão curiosa que me deu vontade de ver.

Jefferson C. Vendrame disse...

Rubi confesso que você despertou meu interesse em ver esse filme. A Ficção nunca foi um dos meus gêneros preferidos , no entanto, esse filme me pareceu ser bem inteligente e com uma trama bem interessante. Vou procurá-lo.
Parabéns pelo ótimo post e pela dica.

Grande Abraço!

Postar um comentário

Esse blog destina-se a trazer informações, curiosidades, músicas e muitas dicas. O universo de pesquisa é muito vasto e se você tiver interesse em algo ou alguém deste universo em especial, faça sua sugestão e na medida do possível tentarei apresentar um trabalho que lhe agrade.

 
↑Top