quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Judy Garland

Nascida Frances Ethel Gumm no dia 10 de junho de 1922, Judy Garland dividiu sua carreira entre a música e o cinema, sendo considerada uma das maiores cantoras de sua época. Filha de artistas, Judy mudou-se para Minnesota quando muito jovem dando início a sua carreira com o apelido de Baby. Aos dois anos de idade fez sua primeira apresentação, ao lado das irmãs, numa apresentação especial de Natal interpretando a canção Jingle Bells. O trio composto por Suzy Gumm, Jimmie Gumm e Frances Gumm (Judy Garland), deu origem ao The Gumm Sisters. Em 1928, as irmãs matricularam-se na escola de dança Meglin Kiddies, onde realizavam apresentações natalinas. No ano seguinte, estrearam no cinema com The Big Revue, seguido por A Holiday in Storyland, The Wedding of Jack and Jill, Bubbles e La Fiesta de Santa Barbara, este último em 1935.

Depois da última aparição nas telas, as irmãs dedicaram-se ao teatro e mudaram o nome do trio para The Garland Sisters; Frances passaria a se chamar Judy, Judy Garland; no entanto no mesmo ano elas se separaram. Em novembro de 1935, Judy perdeu o pai e fez uma homenagem no programa de rádio Chateau Shell Hour, interpretando a canção Zing! Went the Strings of My Heart. O talento da pequena garotinha fez com que ela assinasse um contrato com a MGM, tendo como primeiro filme Every Sunday, ao lado de Deanna Durbin. São muitos os boatos em relação ao produtor Louis B. Mayer e sua relação com Judy Garland; o que na época gerou muita polêmica. Em 1937, após fazer uma apresentação a Clark Gable interpretando a canção You Made Me Love You, foi convidada a fazer parte do elenco no clássico Broadway Melody. Posteriormente, ao lado de Mickey Rooney atuou em quase dez filmes, dentre os quais destaco Thoroughbreds Don't Cry e Love Finds Andy Hardy.

Naquela época, era comum o uso de algumas drogas para manter-se disposto, devido aos trabalhos no cinema e televisão; infelizmente Judy passou a utilizar deste meio muito cedo, o que tornou prematura sua vida e carreira. Em 1939, como Dorothy Gale, Judy Garland atingiu níveis extraordinários de popularidade quando atuou no clássico The Wizard of Oz (O Mágico de Oz). Aos 16 anos, foi submetida a uma série de ajustes para encarnar a personagem e encantou o público com tamanha delicadeza; no ano seguinte recebeu o Academy Juvenile Award e a oportunidade de atuar em mais três filmes: Andy Hardy Meets Debutante, Strike Up the Band e Little Nellie Kelly. Neste período, envolveu-se com Artie Shaw e posteriormente com David Rose (que era casado), o qual lhe deu um anel de noivado em seu aniversário de 18 anos. Em 1941 David Rose se divorciou de Martha Raye para casar-se com Judy Garland, porém o casamento durou apenas 3 anos. Ao lado de Gene Kelly, apareceu em For Me and My Gal seguido por Presenting Lily Mars, nos quais é possível notar as mudanças no visual de Garland.

Foto ao lado: (Mickey Rooney e Judy Garland) Em 1944 atuou naquele que hoje é considerado um de seus melhores filmes, Meet Me in St. Louis, onde popularizou as canções: The Trolley Song, The Boy Next Door e Have Yourself a Merry Little Christmas. Em 1945 casou-se com Vincente Minnelli e teve uma filha, a talentosa Liza Minnelli. No final da década de 40 atuou em The Clock, The Harvey Girls (onde ela ganhou o Oscar pela canção On the Atchison, Topeka and the Santa Fe) e The Pirate. Durante as filmagens do filme The Pirate teve um colapso nervoso e foi internada num sanatório, neste mesmo período tentou o suicídio e foi encaminhada ao Austen Riggs Center (hospital psiquiátrico). Após duas semanas de tratamento voltou as telas com o filme Easter Parade (com Fred Astaire), In the Good Old Summertime e seu último filme na MGM, Summer Stock.

Ainda em tratamento Judy começou a beber; por conta disso foi substituída por Ginger Rogers na produção The Barkleys of Broadway; pela Betty Hutton em Annie Get Your Gun e pela Jane Powell em Royal Wedding. Sua segunda tentativa de suicídio aconteceu logo depois de ser substituída por Jane; segundo algumas biografias ela esfregou um copo de água quebrado em seu pescoço, cortando assim sua garganta. Em 1951 recebeu o Special Tony Award pelo seu trabalho no palco e no ano seguinte, perdeu a mãe. Seu terceiro casamento aconteceu em 1952, desta vez com Sid Luft; juntos tiveram dois filhos Lorna e Joe. Em meados da década de 50 gravou o remake de A Star is Born e recebeu o Oscar e o Globo de Ouro pela sua atuação, neste período dividiu o seu tempo entre o cinema e a televisão, sendo convidada especial em diversos programas. Em 1959 foi diagnosticada com hepatite aguda e foi avisada pelos médicos que não viveria mais que cinco anos, e que mesmo que ela sobrevivesse, não poderia mais voltar a cantar.

Mas para a surpresa de todos, ela se recuperou e apresentou-se no Palladium e Carnegie Hall, onde fez um de seus maiores shows. O álbum lançado naquele período recebeu 4 prêmios Grammy. A partir daí nascia uma nova Judy Garland; seus programas faziam sucesso e sua filmografia na década de 60 contou com Judgment at Nuremberg, Gay Purr-ee, A Child Is Waiting e I Could Go On Singing, seu último filme. Em 1963 divorciou-se de Luft e passou a apresentar-se nos shows com sua filha, Liza. Apesar da nova fase em sua vida, um show realizado em Sydney fez com que as coisas piorassem. Suas últimas aparições aconteceram no New York's Palace Theatre e em Copenhagen. Em 1965 casou-se com Mark Herron e posteriormente com Mickey Deans, com o qual ficou até a morte. No dia 22 de junho de 1969, aos 47 anos de idade, foi encontrada morta no banheiro de sua casa, vítima de overdose de barbitúricos.

Depois de sua morte foi nomeada pelo American Film Institute uma das maiores estrelas de todos os tempos; recebeu o Grammy Lifetime Achievement Awardm,teve diversas canções incluídas no Grammy Hall of Fame, além de possuir uma estrela na calçada da Fama de Hollywood. Sua vida serviu de inspiração para vários escritores, estima-se que há mais de 200 biografias de Judy Garland. Atualmente é mencionada em programas televisivos, peças de teatro e filmes; o diretor Gerald Clarke é o responsável por dirigir sua biografia Get Happy: The Life of Judy Garland que está para ser lançada em 2012/2013.

14 comentários:

Por que você faz poema? disse...

Salve Judy Garland,
sempre!

disse...

Sabia que haveriam grandes músicas da Judy por aqui. Seu talento e sua biografia são muito impressionantes. Adoro esta estrela e estou ansiosa para a cinebiografia. Você já assistiu à minissérie "Me and my shadows", sobre a trajetória dela? É ótima!
Beijos!

Iza disse...

Adoro a Judy Garland. Ela era linda, talentosa. Parabéns pelo post. Beijos!

Fabi disse...

Que linda voz!
a Judy, era fantástica!
só podia ser uma tipica geminiana...

Vanessa Menezes disse...

Oii,,,
Passei pra conhecer e ameiiii!!!
Estou seguindo,passa la no meu cantinho tbm?
E se gostar me segue?
Um bjooo pra vc

Vanessa Menezes

www.vidademulherprendada.blogspot.com

Beatriz Alencar disse...

Judy Garland, é adorável! Definitivamente uma Lenda do Cinema.

Sonhos Pré-Concebidos disse...

obg pela visita *-*
Já sigo seu blog ,ok?
bjs.
Nícia.

@qFernando disse...

Eterna Doroty, realmente começou mto cedo, e por mais papeis posteriores que tenha feito sempre ficará conhecida pelo mágico de OZ né.. mas quem mandou ter participado de um primor do cinema daqueles e com tanta popularidade...rsrsrsrsrsrsr



http://titulobacana.blogspot.com

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Tá aí uma atriz/cantora que gosto cada vez mais. Judy nunca decepciona. Uma maravilha!

Cumprimentos cinéfilos e Feliz 2012!

O Falcão Maltês

Blog UaiMeu! disse...

Me falaram que Anne Hathaway iria fazer o papel de Judy Garland nesse longa Get Happy: The Life of Judy, que vc disse que vai estreiar em 2012/2013. Bem, ela era a atriz mais cotada só q eu não sei se foi ela mesma. A Liza Minelli teve em quem puxar.

Até Rubi!

Renata

Alice Oliveira disse...

Ela era muito talentosa...


http://rebucomcafe.blogspot.com

beijinhos

M. disse...

JUdy, inesquecível. Eterna.

Karla Hack dos Santos disse...

Judy linda!!
Uma estrela talentosíssima!
Que bela homenagem... sua filmografia tem muitos destaques...
;D

Fernanda Amylice disse...

Infelismente só assisti um filme com ela, que foi o mágico de Oz. Mas tenho muita vontade de ver mais. Já vi algumas cenas soltas dela e fiquei com muita vontade de ver mais.

Tenho um selo pra vc no meu blog: http://fernandaamylice.blogspot.com/2012/01/agradecimento-post-especial.html

Postar um comentário

Esse blog destina-se a trazer informações, curiosidades, músicas e muitas dicas. O universo de pesquisa é muito vasto e se você tiver interesse em algo ou alguém deste universo em especial, faça sua sugestão e na medida do possível tentarei apresentar um trabalho que lhe agrade.

 
↑Top