terça-feira, 13 de março de 2012

The Misfits - Os Desajustados

Baseado no roteiro de Arthur Miller, o diretor John Huston levou as telas de cinema em 1961 o filme The Misfits (Os Desajustados) estrelado por Clark Gable, Marilyn Monroe e Montgomery Clift. A produção não teve o retorno financeiro tão almejado porém rendeu boas críticas ao roteiro e as excelentes atuações de seu elenco principal. A história do filme gira em torno da jovem divorciada Roslyn (Marilyn Monroe) e do cowboy Gay Langland (Clark Gable). Após o encontro casual entre as amigas Roslyn e Isabelle Steers (Thelma Ritter) com o ex-piloto de guerra, Guido (Eli Wallach); que lhes apresenta o irreverente Gay Langland, pelo qual Roslyn se apaixona. Durante o relacionamento, Roslyn conhece Perce Howland (Montgomery Clift) amigo de Gay Langland, que tenta arranjar dinheiro para participar de um rodeio. A partir daí, torna-se evidente para Roslyn a real atividade de seu amado. Conflitos ideológicos se contrapõem em seu relacionamento, conduzindo Gay Langland a tomar uma importante decisão em sua vida.

O filme traz algumas cenas de extrema habilidade do diretor tais como: a sequência com o avião de Guido, o rodeio, a perseguição aos cavalos e a clássica cena da embriaguez dos personagens de Gable, Clift e Wallach. Curiosidade a parte, alguns críticos encontravam semelhanças entre a personagem Roslyn e a própria Marilyn Monroe, dado a circunstâncias emotivas pelas quais passava a atriz em sua vida pessoal.


Bastidores: Uma produção grandiosa e conturbada - A despedida de Marilyn Monroe e Clark Gable.
Considerado um dos filmes mais caros em preto e branco da história do cinema, a produção do filme The Misfits (Os Desajustados) escrita por Arthur Miller e dirigida por John Huston, além de não ter sido bem recebida pelo público na época, fez com que os atores e produtores enfrentassem diversos problemas durante as filmagens. O calor insuportável no deserto; a briga entre Arthur e Marilyn que já estavam casados desde 1958 e, principalmente, o consumo excessivo de medicamentos e bebidas que impediu Marilyn de decorar o texto e consequentemente, atrasou as gravações, já que segundo o próprio diretor, ela ficou cerca de duas semanas afastada em tratamento. Apesar das dificuldades, o filme foi lançado em 1º de fevereiro de 1961 e consagrou Clark Gable que, para alguns críticos, fez um de seus melhores personagens.

Curiosidade a parte, Gable recusou a utilização de um dublê para as cenas com os cavalos, inclusive aquela onde ele é arrastado. Para desespero dos fãs, infelizmente, dois dias após a conclusão das filmagens de The Misfits, Clark Gable, que também era o grande ídolo de Monroe, sofreu uma parada cardíaca e não resistiu, vindo a falecer dez dias depois. Marilyn que o tinha como um pai, ficou extremamente abalada, o que provocou sua internação num hospital psiquiátrico. De acordo com alguns relatos, ela se mostrava insatisfeita com sua atuação e dizia detestar o filme.

No dia 5 de agosto de 1962, Marilyn foi encontrada morta em seu apartamento. O companheiro de filmagens de Marilyn e Gable, Montgomery Clift, faleceu seis anos depois vítima de um ataque cardíaco. Filmes e documentários como The Legend of Marilyn Monroe (1966), Making The Misfits(2001), Finishing the Picture (2004) e a autobiografia Timebends (1987) imortalizaram a produção de 1961. Considerada uma verdadeira relíquia, o filme The Misfits teve a honra de reunir dois monstros sagrados do cinema naquela que seria a última atuação de suas vidas: Marilyn Monroe e Clark Gable. Mas como diria Gay Langland numa cena eternizada pela dupla: "Morrer é tão natural como viver."

12 comentários:

Jefferson Clayton Vendrame disse...

Rubi, Sinceramente eu sinto nesse filme um clima tenso, pesado e triste. Esse elenco, apesar de estrelar estavam em suas piores fases, depressivos, em fim de carreira e não mais com a aparência de outrora. Monroe em nada lembra aquela linda e feliz Pin Up dos musicais e das comédias dos anos 50. Clift e Glabe trabalham muito bem mas também não são mais os mesmos,o clima do filme não empolga. Adoro Thelma Ritter que ao meu ver é a única que esta mais "up" na produção.
Quero deixar bem claro que não estou criticando negativamente o filme, muito pelo contrário,é um bom filme, porém muito triste, não só por sua história mas por seu contexto por de traz das câmeras. Eu não sabia que foi um dos filmes mais caros entre os filmes P&B, o que ele tem e teve demais para isso? Salários será?

Parabéns pelo ótimo post e que venham os demais de Miss MM...

ABRAÇÃO

Sonhos Pré-Concebidos disse...

Awwn adoro esses posts aqui do seu blog *-*.Tem post novo lá no blog, tá? Bjks, Nícia.

Bruna Worspite disse...

Que linda Mary!
Esse trabalho eu não conhecia, achei bem bacana!


Bjs

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

É um drama belíssimo, embora marcado pela melancolia.

O Falcão Maltês

Tsu disse...

Oi Rubi!
Ah eu vou indo naquela correria e vc?
Nossa, quando vi o titulo pensei que vc ia falar da banda de horror punk de nome Mifists! lkkkk
Bom sobre cosplays..esse pessoal que confecciona as próprias roupas tem que ter talento pra coisa, além de muita paciência. Ás vezes eles contratam costureiras excelentes e coisas do tipo. Os europeus e japoneses certamente possuem alfaiates e estilistas, pois logo vê que a roupa deles é coisa de "outro mundo' rs. Sem falar que tem muito cosplay que estuda moda...e também há a procura pelos tecidos certos e etc.
Sobre a Monroe, para mim foi um "suicídio induzido" se entende o que quero dizer. Os Kennedys eram muito envolvidos com a máfia, tanto é que o presidente morreu por conta de dívidas do pai dele com os mafiosos...existe até gravações descobertas que alegam isso.
bjs

*♡* Jane Dos Anjos *☆* disse...

Nossa... que coisa, vivendo e aprendendo, nem imagina que o Clarck Gable tivesse morrido loogo após seu ultimo filme... triste mesmo e como não gostar dos filmes da Diva enterna, linda, talentosa, este filme eu não vi, confesso a vc que não vi, mas vou tratar de ver se acho pra baixar, com essa de terem excluidos todos os arquivos da Megaupload, ficou dificil.
Mas não fique chateada que vc não pode conhecer a Jane Russell, vc conheceu EU!! rsrsrsrs... brincando viu... eu quero muito conhecer o Silvio Santos, o véio vai morrer e eu não vou conhecer, vai virar um incone da TV brasileira quando se for para o outro lado.
Como sempre belissímas postagens... Bjs

disse...

Histórias tristes como essas sempre me fazem ver o filme com outros olhos, perguntando-me o que teria acontecido durante as filmagens. Acredito que foi muito significativo para Marilyn trabalhar com Gable no último filme de ambos, já que ela o admirava tanto.
Beijos!

Leonardo disse...

Olá Rubi!
A Audrey realmente tem uma filmografia fantástica, e com personagens variados, que não costuma ser muito lembrado. Filmes como Uma cruz a beira do Abismo, Infâmia e Um Clarão nas trevas trazem a Audrey com personagens bem diferentes e sempre com grandes atuações. Sou suspeito pra falar pois sou apaixonado por ela :D
Vejam só, eu nunca tinha percebido que o último filme da Marilyn Monroe é também o último filme do Clark Gable. Toda a parte final da carreira da Marilyn eu ja conhecia, os problemas e tal, mas do Clark eu sabia muito pouco. Eu não vi esse filme, mas realmente preciso ver, um adeus de duas das maiores lendas do cinema. Um outro fato interessante sobre o Gable é que ele esteve na 2ª gerra mundial (outros atores como james Stewart também estiveram). O que deixa um buraco de alguns anos na filmografia deles, o que para o cinema é uma grande perda, ele poderia ter atuado em mais filmes. Ainda mais que foi poucos anos após E o vento levou, período em que ele estava no auge. Vou procurar esse filme pra ver!

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

Muy triste ,un texto muy interesante,siempre es un placer leerte y aprender ,un abrazo tu amigo.J.R.

Aline Diedrich disse...

Percebe-se pelo seu texto que o filme deve mesmo ser considerado uma relíquia do cinema!!! Pelo próprio filme quanto pelo que aconteceu nos bastidores da produção...

Blog UaiMeu! disse...

Caramba esse filme é historico por vários motivos, primeiro por contar no elenco duas lendas do cinema,segundo que os bastidores é recheado de curiosidades.Eu nunca pensei que os dois tivessem atuado juntos e pela ultima vez nas suas carreiras ainda.
Muito bacana a biografia desse filme mto rico
Abraço Ricardo

TheBluberry disse...

Adorei o tema do blog e todos os posts que andei dando uma olhada. Adorei as dicas de filmes. Nunca assisti um filme com a Marilyn, quero assistir esse depois. :/ O post ficou muito interessante. A historia toda é emocionante e triste.

Postar um comentário

Esse blog destina-se a trazer informações, curiosidades, músicas e muitas dicas. O universo de pesquisa é muito vasto e se você tiver interesse em algo ou alguém deste universo em especial, faça sua sugestão e na medida do possível tentarei apresentar um trabalho que lhe agrade.

 
↑Top