quarta-feira, 6 de março de 2013

Grandma's Boy (1922)

O cinema mudo foi responsável por imortalizar grandes atores, atrizes, diretores e gêneros, um deles a slapstick (comédia pastelão). Este último, infelizmente, foi deixado para trás com a chegada do cinema falado, o gênero slapstick, já não atendia mais as necessidades cinematográficas da nova geração. Nomes como Mack Sennett, Max Linder e Hal Roach, que foram os pioneiros nesse gênero, influenciaram grandes atores, como Buster Keaton, Charles Chaplin, Fatty Arbuckle, Harry Langdon e Harold Lloyd. Lloyd que fez sua contribuição ao cinema mudo e falado ao atuar em mais de 200 filmes, muitos considerados verdadeiros clássicos: Safety Last (O Homem Mosca), Speedy, The Kid Brother (O Caçula), The Freshman (O Calouro) e Grandma's Boy, o qual fará parte do post de hoje. Lançado em 1922, Grandma's Boy foi produzido e escrito por Hal Roach e dirigido por Fred C. Newmeyer; contando com um enredo bastante simples, porém divertido. A história gira em torno de Lloyd (ou o queridinho da vovó, como ele é chamado no filme), um garoto tímido que enfrenta inúmeras dificuldades devido a sua falta de coragem para conquistar a garota (Mildred Davis) que tanto ama.

Por outro lado, vê-se obrigado a disputar o amor da jovem com seu rival (Charles Stevenson), o que torna as coisas ainda mais difíceis. Sua avó (Anna Townsend) percebendo as dificuldades do neto, resolve lhe entregar um amuleto da sorte, que segundo ela, foi utilizado pelo seu avô durante a Guerra Civil. À partir daí, a vida do tímido Lloyd transforma-se radicalmente e o filme ganha uma velocidade impressionante de sequência de fatos, e durante os seus 60 minutos de duração, encanta pela simplicidade e consegue retratar de forma peculiar a Guerra Civil, em alguns poucos minutos. Produzido por um dos maiores nomes do cinema de comédia, e com elenco bem selecionado, Grandma's Boy é um clássico indispensável.


Bastidores: Hal Roach e Harold Lloyd
A parceria entre Harold Lloyd e Hal Roach durou cerca de cinco anos entre 1919 e 1923; neste período Lloyd protagonizou seus melhores filmes e o produtor, roteirista e diretor Roach teve em suas mãos a principal jóia da Hal Roach Studios, aquele que sem dúvida foi o ator que mais lucro trouxe a sua companhia cinematográfica. Com a saída de Lloyd em 1923, somente à partir dos anos 30 Hal Roach encontrou artistas de tão alto nível, tais como: Thelma Todd, Patsy Kelly, Zasu Pitts Will Rogers, Max Davidson, Charley Chase, Harry Langdon e Stan Laurel e Oliver Hardy (O Gordo e o Magro). Durante os anos 20 Roach teve como grande rival o também produtor Mack Sennet, e até os dias atuais, são considerados os maiores responsáveis pela longevidade da comédia pastelão.

10 comentários:

Sin12012 disse...

Não conhecia , mas vai já para a minha lista . :)

http://Sinbowtie.blogspot.com

Bruxa disse...

E como li sobre Mack Sennett no livro do Chaplin. Ele produzia trocentos curtas, todos com a mesma trama - perseguição -, que era o ponto-chave dos filmes - produção Keystones (os pastelões, com velocidade alta como falam).
O que me chama a atenção, é que nessa época, eles escreviam, dirigiam e produziam os filmes. E assim o Chaplin pegou carona...
Qdo mudo o canal e acho um filme antigo assim (o que é raro), a TV fica por lá mesmo.

Abração minha querida e lindo dia.

disse...

Toda indicação de filme mudo me alegra. Vi poucos do Harold Lloyd, mas tenho certeza de que este deve ser muito divertido. Com certeza vou procurar.
Beijos!

Beatriz Alencar disse...

Não assiste, parece ser divertido. Eu adoro essas comédias antigas, vou procurar saber mais :D Abraços,

Iza disse...

O filme parece ser bem divertido. Achei o título bem simples e original. Gosto do gênero comédia - me diverte muito, mas faz um tempo que não vejo nada ao estilo. Quem sabe eu assisto esse? Você sabe onde eu acho ele?

Bjs ;*

P.S: A vovó da capa é tão fofinha, me lembrou a minha com cabelos bem branquinhos hehehe.

Malu Silva disse...

Conhecemos. Eu e meu marido somos fãs deste gênero e adotamos muitos para o final da noite, para irmos dormir leves e felizes...
Um beijinho, Menina! Eu adoro passar por aqui e ver este belo trabalho que faz, pois adoro CINEMA e tudo o que é pertinente a ele.

Ruby disse...

O Harold LLoyd é um dos grandes comediantes da início do século passado, bem leve, já assisti muitos filmes dele e são realmente divertidos. Pena que hoje não se vê mais na TV.

Flá Romano disse...

Oieee tudo bom??
Sempre o post é muito bom e com muito conteúdo...
Adorei saber um pouco mais de um filme que nao conhecia...
Bjoss
http://morenanude.blogspot.com.br/

LAR DOCE LAR disse...

Amiga!! Bom dia, agradecendo a visita!!
Beijios e linda quarta

Jefferson C. Vendrame disse...

Rubi, parabéns por mais esse post sensacional sobre o cinema mudo. Eu preciso muito conhecer mais filmes dessa época, meu conhecimento é muito limitado.Infelizmente no Brasil, esses filmes são muito raros, e quando encontramos um ou outros, são caríssimos. Mas enfim, em breve pretendo iniciar minhas compras somente com títulos mudos. Antes, preciso continuar adquirindo alguns clássicos sonoros e mais acessíveis que ainda me faltam. Parabéns mais uma vez pelo texto, rico em detalhes e pelas ótimas fotos.

Abração

Postar um comentário

Esse blog destina-se a trazer informações, curiosidades, músicas e muitas dicas. O universo de pesquisa é muito vasto e se você tiver interesse em algo ou alguém deste universo em especial, faça sua sugestão e na medida do possível tentarei apresentar um trabalho que lhe agrade.

 
↑Top